Você sabe o que é bull e bear market?

08/07/2021
miniaturas douradas de um urso e de um touro estão frente a frente em posição de combate em cima de papéis com números e gráficos

Com certeza, você já deve ter ouvido falar nas famosas expressões "bull market" e "bear market", que em português significam "mercado touro" e "mercado urso" e estão relacionadas aos movimentos de alta e de baixa no mercado de ações da Bolsa de Valores.

Como muitos outros termos e expressões utilizadas no universo dos investimentos, não existe uma única origem aceita sobre elas, porém, uma das explicações mais conhecidas é a que diz respeito à forma como esses animais, o touro e o urso, atacam suas presas.

Bull market
Bull market - ou mercado touro - é o mercado de alta por conta da forma como o animal ataca, de baixo pra cima, numa ascendente com o chifre.

Essa expressão é utilizada pra dizer que o mercado está em um bom momento e otimista, a expectativa é de que os preços das ações subam e, com isso, os investidores contem com maiores lucros em suas operações.

Um bom exemplo para explicar como funciona o Bull Market é lembrar da lei da oferta e demanda. Com o mercado otimista, mais pessoas querem comprar ações e, com isso, o preço delas sobe.

A excelência no mundo dos investimentos gira em torno do timing, quem identificou o touro antes dele aparecer, comprou os ativos mais baratos e lucrou depois com a venda na alta.

Bear market
O bear market - ou mercado urso - é o mercado de baixa, ou seja, os preços das ações estão caindo e os investidores estão pessimistas em relação ao mercado.

O nome vem do momento do ataque, quando o urso dá sua patada de cima para baixo, num movimento descendente. Já o chamado "bearish" (ou "como um urso", em português) geralmente é usado para descrever um momento ruim da economia: inflação em alta, desemprego ou algum segmento do mercado em baixa, ou seja, pode se referir a um evento geral ou pontual em determinado setor.

No caso do bear market, a tendência do mercado é pessimista, mais investidores querem vender suas ações, receosos com a possibilidade de prejuízos. Isso faz com que a oferta de ativos seja maior que a demanda e, consequentemente, os preços caem.

Quem optar por comprar no momento de baixa pode ter que esperar bastante para ver o lucro da aplicação, já que a queda nos preços pode ser longa.

O mais recomendado é que o investidor procure comprar uma ação quando os preços estiverem no fundo do poço, mas já apresentem sinais de melhora, ou seja, quando houver indícios de que a tendência de baixa está perdendo força e a demanda esteja aumentando.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram e LinkedIn - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Peterschreiber / Getty Images