O que é IPO e como funciona o processo para começar a vender ações?

09/09/2020

Wine, Havan, Enjoei, Petz, Pague Menos, é bem provável que você tenha lido sobre o IPO de alguma dessas empresas recentemente. As ofertas iniciais de ações dispararam no Brasil e podem fechar o ano atrás somente dos EUA e da China.

A sigla em inglês tem sido facilmente encontrada no noticiário econômico e vem acelerando à medida que mais de 50 empresas já formalizaram pedido para abrir capital na Bolsa. Mas como será que é definido o preço das ações e quais são os requisitos necessários para começar?

Primeiro vamos entender o que é um IPO. Ações são pequenas frações das empresas, ou seja, comprá-las significa tornar-se dono de uma parte da companhia e até receber os lucros - através dos dividendos - e para que tudo isso aconteça, a empresa precisa começar com um IPO.

As ofertas públicas iniciais são mais conhecidas por sua sigla em inglês para Initial Public Offering. Elas acontecem quando uma empresa decide abrir capital em uma Bolsa de Valores e vender pequenas partes para arrecadar dinheiro com isso e, geralmente, reinvestir na empresa.

O nome já diz muito sobre o que é um IPO. Esta é a primeira vez que uma empresa oferece suas ações publicamente, para quem quiser comprar.

Tipos de oferta
O termo "inicial" não é à toa, pois uma vez que a empresa já abriu capital, ela pode fazer mais ofertas de ações. Isso significa que ela vai vender outros 'pedaços' de si.

Já na oferta pública secundária, as ações já existem e são vendidas por cotistas ou acionistas, ou seja, o lucro da venda não vai para a empresa.

E quem pode fazer um IPO?
Ofertar ações na B3 não é tão simples, é preciso seguir algumas regras impostas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), por isso que frequentemente vemos por aí o termo "fila do IPO". Isso significa que a CVM está analisando a estrutura da empresa que pediu um registro para ofertar ações, o que inclui informações financeiras, destinação de resultados, distribuição de dividendos e até fatores de risco que possam afetar a decisão de investimento na empresa.

Como as ações são precificadas?
O valor da ação não deve ser tão grande ao ponto de tornar o lote mínimo de negociação muito caro, nem tão pequeno ao ponto de fazer com que as menores oscilações de preço representem variações de percentuais relevantes. Por isso, a precificação é muito importante.

Primeiro, a empresa define quanto quer levantar e o tamanho da parcela que está disposta a vender. A partir daí, divide essa parcela em milhões de frações – as ações – e define com a ajuda de uma série de estudos, uma faixa de preço para os papéis. Depois, o mercado deve ajudar a empresa a encontrar a melhor precificação, por exemplo, se faixa indicativa for de R$ 10 a R$ 12 e os investidores indicam que a demanda deve ser pequena, o IPO é precificado perto do piso (R$ 10), ou até abaixo disso.

E se o valor da ação subir muito ou cair demais?
CLIQUE AQUI e veja a matéria completa do site CNN Brasil e entenda como funcionam o desdobramento e o grupamento de ações.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram e LinkedIn - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: ipopba/Get Images Pro