Maré em baixa: quais ações estão valendo a pena comprar?

19/05/2022
gráfico da bolsa de valores do lado esquerdo em primeiro plano e algumas pessoas passando à direita com a imagem desfocada

Nos últimos meses, algumas ações que já foram estrelas nas carteiras de Renda Variável estão passando por momentos de alta desvalorização, algumas perderam até 70% do seu valor só este ano, mas quais seriam elas? O que está barato e pode ser uma oportunidade e o que é cilada?

A casa de avaliações Nord Research fez uma análise e das 10 ações selecionadas, apenas duas são vistas como um bom negócio pelos analistas. Eles se basearam em fundamentos, esmiuçando o cenário macroeconômico e os resultados do primeiro trimestre das empresas. As eleitas são a Oi(OIBR3) e o Banco Inter (BIDI11). Ficaram de fora papéis que já fizeram brilhar os olhos dos investidores como Magazine Luiza (MGLU3) e Méliuz (CASH3).

A Oi está na lista de oportunidades porque a empresa vem passando por reestruturação e começa a ver os primeiros resultados de investimentos em fibra ótica, venda da unidade de telefonia móvel e redução da dívida. Finalmente, a operadora parece estar perto de ver a luz do túnel e sair da recuperação judicial que começou em 2016.

Os analistas pontuam que ela teve uma desvalorização perto de 70% somente este ano, mas está pronta para voltar a crescer, com uma estrutura mais enxuta e novo foco de negócios. De 2018 até o fim do ano passado, a receita teve alta de 222%.

No caso do Banco Inter, o entendimento é de que a empresa vem apresentando crescimento satisfatório da base de clientes, que quadruplicou em dois anos. A ação BIDI11 está bem abaixo do preço, considerando o potencial de valorização no longo prazo. A queda foi de 84% desde julho do ano passado, quando atingiu o pico de cotação, mas com fundamentos que vêm melhorando a cada trimestre, é questão de tempo até que o mercado direcione um olhar mais justo para o ativo.

Para as demais da lista, fatores como as incertezas do atual cenário macroeconômico, promessas que não estão se cumprindo e resultados aquém do esperado estão entre os motivos para deixar os papéis fora da carteira. São elas:

Via – VIIA3 (PASSE)
Inter – BIDI11 (COMPRE)
Méliuz – CASH3 (PASSE)
Oi – OIBR3 (COMPRE)
Natura – NTCO3 (PASSE)
Magazine Luiza – MGLU3 (PASSE)
BRF – BRFS3 (PASSE)
Cogna – COGN3 (PASSE)
IRB Brasil – IRBR3 (PASSE)
Nubank – NUBR33 (PASSE)

Além de ficar longe dessas ações, quem já tem na carteira deve avaliar a continuação com elas. É tentador não vender para evitar o prejuízo definitivo - a esperança é sempre de valorização - mas vale lembrar que depois de uma forte queda, é preciso uma alta ainda maior para voltar aos patamares confortáveis de antes.

Segundo o analista da Nord Research André Zonaro, na hora de decidir se deve ou não vender um papel, o investidor deve considerar três fatores. O primeiro, é se a ação atingiu o que foi planejado para ela, se a empresa chegou ao objetivo que você tinha em mente na hora que comprou o ativo.

O segundo é o caso de uma mudança brusca de cenário que prejudique os fundamentos ou um erro de análise. Por último, vale vender quando você achar uma oportunidade melhor em outro ativo, que tenha um potencial maior de valorização.

Muitas vezes, a maneira de recuperar um pouco do que se desvalorizou, não é seguir com o mesmo papel na expectativa que ele volte à era de ouro, mas trocar de ativo realmente, buscando uma nova oportunidade na reestruturação da carteira.

CLIQUE AQUI e confira a reportagem completa e original do site Valor Investe.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram, LinkedIn e TikTok - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: samxmeg (Getty Images para o Canva Pro)

Siga nossos canais