Três investimentos para proteger sua carteira da alta da inflação

10/09/2021
foco nas mãos de uma pessoa que está segurando uma nota fiscal de supermercado, o caixa e alguns produtos aparecem desfocados em segundo plano

A forte alta da inflação no ano contribui para retornos financeiros menores nas aplicações, por isso, a tarefa é buscar por ativos que ofereçam retornos reais, ou seja, acima da inflação.

Em agosto, o Brasil teve a inflação mais alta para o mês em 21 anos, o IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, medidor oficial da inflação no Brasil - surpreendeu e ficou em 0,87%, bem acima do esperado pelos economistas.

E ao que tudo indica, os preços devem continuar em alta nos próximos meses. No ano, o índice está subindo 5,67% e segundo projeções do Relatório Focus, do Banco Central, a inflação deve terminar 2021 acima de 7,5%.

Diante deste cenário, confira 3 investimentos para proteger sua carteira da alta dos preços:

1) Títulos públicos: o investidor pode optar por títulos públicos do tipo Tesouro IPCA+, com ou sem pagamento de bônus semestrais, que combinam retorno pré-fixado, com o atrelado à inflação.

2) ETFs de Renda Fixa: eles podem replicar o desempenho de índices que acompanham títulos públicos ou privados, atrelados à inflação. Cinco produtos são negociados na B3, é o caso do "B5P211".

3) Fundos Imobiliários: os FIIs voltados para renda e que possuem no portfólio ativos com contratos de aluguel atrelados ao IPCA e ao IGPM também podem se beneficiar do cenário de alta da inflação.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram e LinkedIn - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Getty Images Pro

Siga nossos canais