Surto, pandemia, endemia ou pandemônio: como anda a sua vida financeira?

21/01/2022
uma mãe de máscara observa o computador de maneira apreensiva enquanto um menino, também de máscara, faz lição ao seu lado na mesa

Pandemia. Essa palavra entrou para o nosso vocabulário nos últimos tempos sem pedir licença, ficou entre as palavras mais buscadas no Google, virou pauta diária nos jornais e telejornais e assunto nas rodas “virtuais” de conversas.

E ainda está entre nós, mas a pergunta agora é: você trata suas finanças como uma pandemia, um surto, uma endemia ou está deixando que continue mesmo um pandemônio?

Alguns tratam a vida financeira como um surto, ou seja, “o problema se manifesta de maneira súbita e repentina” até se darem conta que a situação precisa ser tratada. Saem correndo para resolver o mais rápido possível, semelhante a uma dieta radical. Pode funcionar no curto prazo, mas é improvável que se sustente ou surta efeito por muito tempo. Ao primeiro sinal de obstáculo, a empolgação se dissolve por completo e o antigo padrão de comportamento financeiro se restabelece.

Há também aqueles que tratam o próprio dinheiro como uma pandemia, “algo (uma doença, no caso) de caráter transitório, que ataca simultaneamente grande número de indivíduos em uma determinada localidade”. O problema se apresenta, todos se mobilizam para resolver a questão, mas ao primeiro respiro de normalidade, as coisas voltam a ser como antes.

No Brasil, a taxa de endividamento é bem alta e a de poupança, baixa. Nos últimos tempos mais luz foi colocada na questão, mas os indicadores persistem em se manter no mesmo patamar. Mesmo que os investimentos tenham se popularizado, se tornado mais democráticos e a Bolsa tenha ganhado muitos investidores, as pessoas estão consumindo mais e flertando apenas de longe com os investimentos. Só que além de a pandemia ter deteriorado os recursos financeiros de muita gente, aflorou um efeito manada, levando muitos a correrem em uma direção contrária aos próprios interesses e objetivos.

No fim das contas, nossa vida financeira deveria mesmo era ser tratada como uma endemia. Essa palavrinha já já vai entrar no radar, pois já se discute - com o avanço da vacinação - trocar a classificação da pandemia do coronavírus para a de uma endemia sazonal. Uma endemia nada mais é do que algo que acontece habitualmente, corriqueiro em determinada da população e/ou região.

Trazendo pro universo das finanças seria como aprender a adotar protocolos de melhor convivência com o nosso dinheiro. Devemos olhar para os nossos ganhos, gastos, investimentos e aposentadoria de maneira regular, permanente e diligente. Qualquer coisa diferente disso e as finanças pessoais de muita gente vão continuar como um verdadeiro pandemônio.

CLIQUE AQUI e leia o artigo completo e original de Ana Leoni no site Valor Investe.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram, LinkedIn e TikTok - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Macniak / Canva Pro

Siga nossos canais