Os ciclos da vida financeira e a armadilha do padrão de vida

11/08/2021
imagem com fundo desfocado, em primeiro plano mostra um pote caído que derrubou algumas moedas e um livro aberto em alusão à educação financeira

Você entende o conceito de juros? Quando fazemos uma dieta ou praticamos exercícios físicos, por exemplo, estamos aplicando o conceito dos juros. E quando planejamos qualquer outro aspecto da nossa vida também estamos praticando os juros, pois o valor do futuro vai depender do que você espera dele.

É nesse exato momento que nos deparamos com o dilema: aproveitamos hoje, pois não sabemos o dia de amanhã ou planejamos hoje para um futuro incerto? Será que podemos fazer as duas coisas? Para Thiago Godoy, colunista e head de Educação Financeira da XP, sim, podemos aproveitar hoje e se preparar para a incerteza do amanhã.

Muitas sociedades tradicionais viram uma ordem implícita na vida que nós, modernos, muitas vezes deixamos de ver. Uma das lições mais importantes é que cada etapa da vida oferece um conjunto específico de desafios e lições, que aumentam nossa maturidade e apoiam o nosso processo individual.

De 7 em 7 anos
No início do século 20, o filósofo Rudolf Steiner revelou algumas das lições importantes que devemos aprender à medida que avançamos no processo de autoconhecimento. Steiner apresentou o conceito dos “setênios”, os ciclos de 7 em 7 anos que passamos durante a vida. Segundo Steiner, cada ciclo oferece seus próprios desafios e recompensas e se enfrentarmos as lições com coragem, honestidade e sinceridade, elas serão absorvidas e o nosso desenvolvimento pessoal trará grandes recompensas.

Os ciclos de 7 anos podem ser divididos em 3 grandes etapas, mostrando que o planejamento financeiro pode levar você a uma vida com mais prosperidade.

Na primeira etapa temos 3 ciclos de desenvolvimento individual: dos 0 aos 7 anos, a chamada primeira infância, dos 7 aos 14 anos, quando nos desenvolvemos fisicamente e chegamos na puberdade, e dos 14 aos 21 anos, quando termina nossa entrada para o mundo do trabalho e o alcance da idade adulta.

Na segunda etapa vivemos do 4º ao 8 º ciclo: dos 21 aos 56 anos passamos pela construção do propósito de vida e do patrimônio financeiro. Essa etapa é determinante para a estruturação da nossa vida profissional, familiar e econômica, é a partir dos 20 e poucos anos que ganhamos um mínimo de controle sobre nossas emoções e começamos a integrar nossas faculdades racionais, que dão maior controle sobre nossas ações.

Durante esses anos, a maioria das pessoas está saudável, cheia de energia e com sede de vida, mas também é comum que nessa fase, os jovens sintam uma certa invencibilidade e até arrogância, temos um entusiasmo selvagem, nos sentimos independentes e somos até imprudentes, assumimos riscos e frequentemente cometemos erros.

Com o tempo, essa impulsividade dá lugar à maturidade e já próximo dos 30 anos, aparece a necessidade de nos tornarmos adultos mais responsáveis. Nesse momento, uma grande parte das pessoas se casa, tem filhos, se estabelece no trabalho etc. É nessa etapa que o olhar para a construção de um patrimônio sólido aparece, pois estamos aprendendo a pensar em outras pessoas além de nós mesmos. Somos pressionados a ver a vida de forma mais ampla e altruísta.

E conforme vamos ampliando nossa renda, buscamos consumir e nos cercar de mais qualidade de vida, é bastante comum profissionais que por volta dos 35, 40, 45 anos estão com uma renda 10 vezes maior do que quando tinham 20 anos caírem nessa “armadilha”!

Os rendimentos aumentam, mas o carro também aumenta, a casa, a conta do restaurante e no fim do mês, ninguém consegue separar nada para investir no futuro. Pior, muitas vezes essas pessoas, de alta renda, estão endividadas simplesmente por terem caído na armadilha do padrão de vida.

Mas com o plano correto, durante os 5 ciclos de produtividade plena é possível, a cada ciclo, ampliar os rendimentos e o percentual da renda que se destina para os investimentos. Ou seja, a vida melhora, mas o plano de futuro também melhora e você evita cair na armadilha do padrão de vida.

E depois, o que acontece? Na terceira etapa, do ciclo 9 em diante, deveríamos usufruir de maturidade emocional e plena liberdade financeira (se você soube aproveitar e guardar para o momento em que a vitalidade começa a ficar em baixa).

Os cinco ciclos de construção plena do patrimônio são determinantes para a terceira etapa, a partir dos 57 anos, quando você definitivamente vai colher o resultado do que plantou e cultivou lá no passado.

E durante esse processo, você teve um aliado muito importante: os juros compostos. Aliado, se você soube usá-lo a seu favor.

CLIQUE AQUI e acesse o artigo original de Thiago Godoy no site da XP.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram e LinkedIn - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: iamnoonmai/Getty Images Pro

Siga nossos canais