O que esperar de 2022: mais incertezas ou oportunidades de investimentos?

23/09/2021
homem de negócios aponta para projeção de luzes de gráfico em ascensão

O ano de 2022 ainda nem começou e já movimenta o país nas esferas sociais e, principalmente, econômicas. Além do fato de ser um ano eleitoral - fator que por si só já causa grande comoção no mercado - o período que se aproxima deverá ser marcado por questões como o risco fiscal, a inflação, o câmbio elevado e a desequilíbrio no fornecimento de insumos para as indústrias.

O que vemos até agora pode ser considerado uma prévia do que virá, inflação em ascensão e manobra do Banco Central para esticar a Selic.

Só que controlar os preços por meio dos juros, pode causar um reflexo importante no consumo do país. É que com a taxa maior, empréstimos e financiamentos também ficam mais caros, cenário que pode inibir as aquisições de bens no mercado, um banho de água fria nos setores que estão em processo de retomada pós-pandemia, como é o caso, por exemplo, do automotivo, da construção civil e da linha branca.

O dólar valorizado complica ainda mais a vida da indústria e do comércio, que dependem de produtos importados para operar e ficam sem alternativa senão repassar o aumento do custo para o preço final de seus produtos, que acabam, portanto, chegando mais caro para o consumidor.

Diante disso, é possível observar que são grandes as incertezas em torno de dois pilares importantes: a demanda e o emprego. Com o financiamento e os insumos mais caros, fica a dúvida a respeito dos negócios no ano que vem e se o volume gerado será suficiente para manter as operações das empresas como estão ou se será necessário enxugar os quadros.

Com o desemprego em alta, o ano que vem pode apresentar períodos de recessão, queda na renda familiar e recuo do consumo no mercado interno.

"No mercado financeiro, polarização significa incerteza e incerteza traz volatilidade. Para alguns, volatilidade pode ser sinônimo de risco, mas com o acompanhamento adequado, a volatilidade se torna um caminho para as oportunidades", afirma Jennie Li, estrategista da XP.

As oportunidades para 2022
O mercado de commodities, por exemplo, tem registrado desempenho operacional relevante na esteira do dólar valorizado, uma vez que os produtos agrícolas e pecuários têm sua cotação atrelada à moeda estrangeira.

Outro mercado em ascensão é o do comércio eletrônico, que experimentou um boom sem precedentes durante a pandemia, já que o consumidor que passou a viver e a trabalhar em casa recorreu às compras via internet como nunca na história.

Só neste exemplo é possível dimensionar forte impacto em uma longa cadeia. As compras pela internet carregam na esteira do seu crescimento setores como o de papel e celulose, imprescindível para produção de embalagens, setor de veículos comerciais responsáveis pelo deslocamento da carga, setor de logística que armazena os produtos, entre outros que também se beneficiam do momento.

Não à toa, as ações da Magazine Luiza e Via Varejo, dois grandes players do comércio eletrônico, foram as que mais se valorizaram na Bolsa de Valores nos últimos meses.

Falando em produtos financeiros, como as ações, o ano de 2022 pode ser visto como um bom momento para os investidores se posicionarem no mercado – desde que saibam onde encontrar as oportunidades e que tenham em mãos as ferramentas certas para buscar excelentes chances de rentabilidade.

CLIQUE AQUI e acesse a matéria completa do site InfoMoney.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook e Instagram - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Getty Images Pro

Siga nossos canais