Crédito Privado: a bola da vez da Renda Fixa

13/12/2019

Antes de explicar sobre o crédito privado é importante falar sobre a taxa em que se baseia os rendimentos da renda fixa, o famoso CDI. Ele acompanha de perto a variação da Selic, a taxa básica de juros da economia, e aí vem o ciclo: Selic baixa, CDI igual, rendimentos da renda fixa também.

Apesar disso, o retorno de alguns títulos de crédito privado que estavam bem mais baixos no meio do ano de 2019, lá pra junho e julho, agora estão bem atrativos. Isso acontece nada mais, nada menos por causa da famosa lei da oferta e da procura.

É que com a Selic em baixa, o investidor migrou em massa da renda fixa para outro tipo de produto mais arrojado, aumentando bastante a oferta deste tipo de papel, os títulos de crédito privado. Com isso, a dinâmica “bola de neve” abriu uma grande oportunidade de adquirir ativos de boas empresas com excelentes taxas.

Mas como funciona esse produto na prática?
Imagine uma empresa que precisa de crédito pra ampliar sua capacidade de produção, por exemplo. Ela tem algumas opções: pegar um empréstimo no banco ou fazer uma operação no mercado de capitais. Neste segundo caso, quem “empresta” o dinheiro para a empresa são os investidores (eu, você, qualquer pessoa) que, em contrapartida, acompanham a valorização dela ao longo dos anos. E o pulo do gato é justamente esse, as operações com crédito privado costumam ser de médio e longo prazo até porque o objetivo das empresas é levantar recursos para projetos com um horizonte maior também.

E como aproveitar essa oportunidade dentro do seu portfólio?
Entre os principais títulos de crédito privado estão as debêntures, o CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), o CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio), além do FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios).

Cada um têm suas características próprias, tendem a apresentar ótimos índices de rentabilidade, normalmente acima da renda fixa mais tradicional, mas é importante que estejam alinhados com o seu perfil e com as suas expectativas. É importante saber qual é o montante que você tem disponível para investir, a rentabilidade associada e os riscos. Se o rendimento não for maior quando comparado com outras opções mais seguras, é indicado adotar uma postura mais conservadora.

Crédito privado: uma ótima oportunidade de investimento, mas da mesma forma que os outros produtos, optar por eles depende de diversos fatores como seus objetivos e o conhecimento do mercado. ;)

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram e LinkedIn - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Depositphotos