Ainda dá tempo de ter R$ 10 mil investidos até o fim do ano

08/07/2022
imagem mostra um rapaz  olhando para a tela de um notebook, as mãos estão sobre o teclado e o semblante é bastante feliz. atrás dele, o prédio parece ser de vidro

Um dia, a pessoa acorda e percebe que metade do ano já foi. E, quando lembra que não colocou em prática a principal promessa feita na virada – começar a investir – dá um pulo. O ano voou. E a mente mais ainda.

Mas como estamos no início de julho, a boa notícia para quem sempre deixa os planos pra lá é a de que ainda temos seis meses pela frente. E as projeções garantem que ainda dá tempo de colocar o investimento em dia. A primeira coisa a fazer é estabelecer uma meta, que precisa ser colocada em prática com rigor, seja ela financeira ou não.

A Rico Investimentos sugere uma meta específica: juntar R$ 10 mil na conta até o dia 31 de dezembro de 2022 (se estiver dentro da sua realidade financeira, claro). O projeto requer autodisciplina e a capacidade de superar maus hábitos.

Muito bem! Vamos supor que você já conseguiu fazer um "pé de meia" de R$ 10 mil para sua reserva de emergência, mas adiou seus investimentos para primeiro de janeiro de 2023. E vai começar a investir R$ 200 por mês, todos os meses, pelos próximos 30 anos a uma taxa (fictícia) de 1% ao mês. No final desse prazo, você terá R$ 1.058.489,24. Sim, você chegaria no seu primeiro milhão com apenas R$ 200 por mês, bem investidos.

Esse cálculo mostra o motivo de como é importante decidir e começar a investir agora, em vez de deixar para o ano que vem.

Processo
Com a meta estabelecida, vamos partir para o planejamento. É importante saber com detalhe quais são seus gastos mensais, os fixos e os variáveis. Com isso, já é possível mudar hábitos e cortar despesas.

Entre os cortes que podem ser feitos estão os streamings e as compras realizadas por impulso, por conta de anúncios que não param de aparecer nas redes sociais, por exemplo. Mesmo que não seja possível ter os R$ 10 mil investidos no último dia do ano, o importante é mudar esses hábitos.

"O primeiro pagamento do mês é aquele que deve ser feito pra nós mesmos. A proporção já é conhecida: 50% da renda para gastos fixos, 30% para os variáveis e 20% para investir", explica Luiz Felipe D’Avila, consultor financeiro e especialista em planejamento.

CLIQUE AQUI e confira a matéria completa e original do site Valor Investe.

➡️ Siga a SHS nas redes sociais - Facebook, Instagram, LinkedIn e TikTok - e inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Foto: Prostock-Studio (Getty Images para o Canva Pro)

Siga nossos canais